Club de
Marechal Cândido Rondon
25 de Julho

Marechal Rondon é destaque regional na doação de leite materno

Incentivar o aleitamento e a doação de leite materno por meio de capacitações e difusão de informações. Este é o objetivo de uma iniciativa encabeçada pelo Hospital Rondon, Hospital Bom Jesus de Toledo, Rotary Club Marechal Cândido Rondon 25 de Julho e Rotaract Club, com o apoio da prefeitura rondonense, por meio da Secretaria de Saúde. No último dia 20, foi realizada a 1ª Conferência do Programa de Aleitamento Materno (Proamar). O evento aconteceu na Casa da Amizade e contou com a presença do prefeito Marcio Rauber, coordenadora da Atenção Primária e Básica em Saúde, Raquel Rech, enfermeira-chefe do Hospital Rondon, Angelita Taffarel, além de outras autoridades e membros do Rotary 25 de Julho, presidido por Vilmar Krenchinski. Na oportunidade, houve uma capacitação sobre aleitamento materno ministrada pela nutricionista Helena Meyer e pela enfermeira responsável pelo Banco de Leite do Hospital Bom Jesus, Maria Pauli. O público-alvo foram agentes comunitários de saúde, técnicas de enfermagem do município, médicos do programa Mais Médicos, funcionários do Hospital Rondon, além de estagiários do curso técnico de enfermagem do Colégio Estadual Antônio Maximiliano Ceretta.   A nutricionista e a enfermeira repassaram aos profissionais da saúde informações sobre aleitamento materno, bem como a forma de orientação e o manejo para fazer a doação de leite. De forma prática e lúdica, as profissionais usaram um seio feito de crochê para demonstrar os cuidados com a mama, formas de amamentação, dicas para as mães puérperas e mais ativamente orientações de como proceder com a doação do leite materno, desde sua captação até a entrega ao Banco de Leite. Segundo Helena Meyer, o estoque atualmente é considerado satisfatório e atende à demanda da UTI neonatal do Hospital Bom Jesus, mas, de acordo com ela, se a doação aumentar será possível atender também as mulheres que estão em casa e com dificuldades ou com algum problema para amamentar. PARCERIA O presidente do Rotary Club 25 de Julho, Vilmar Krenchinski, relembrou que há sete anos o Proamar está sendo desenvolvido em parceria com o Hospital Rondon e Hospital Bom Jesus. Segundo ele, a instituição tem procurado ampliar ainda mais a arrecadação de leite. Krenchinski relata que a busca por mais doações acontece através das capacitações dos profissionais, bem como a confecção de panfletos informativos. Uma nova etapa do projeto se dará com a divulgação para a doação dos potes de vidros que são utilizados para o armazenamento do leite captado. Também há a necessidade da ampliação das atividades em Marechal Rondon, tendo em vista que o Hospital Municipal Dr. Cruzatti começou a realizar partos e, com isso, houve aumento pela demanda de leite materno. Segundo a nutricionista, a conferência só aconteceu por conta do Rotary. “Eles nos chamaram para desenvolver a palestra. Então viemos falar do aleitamento materno para incentivar os multiplicadores que são os profissionais, que é a linha direta que está com a mãe e bebê”, reforçou. MARECHAL RONDON E A DOAÇÃO DE LEITE Conforme Helena Meyer, Marechal Rondon é hoje um dos municípios onde há mais doação de leite materno dentre as demais cidades da 20ª Regional de Saúde. No último mês o município foi responsável pela doação de 24 litros. Atualmente, o trabalho desenvolvido consiste em repassar as orientações às mães, fazer o recebimento do leite e enviar a doação para o Banco de Leite de Toledo, onde ocorre o processo de pasteurização para que o material possa ser utilizado. “Esses números só são possíveis graças ao empenho e participação das instituições de saúde que buscam incentivar e viabilizar o processo da doação do leite”, salienta. Um dos locais que contribuem com o estoque do Banco de Leite é o Hospital Rondon, do Grupo Sempre Vida. Segundo a enfermeira-chefe Angelita Taffarel, a instituição está com a doação ativa. Além de receber a doação de três mães, existe a promoção de um trabalho dirigido com todas as mães que fazem o parto no Hospital Rondon. Para tanto, a unidade conta com uma parceria com a Secretaria Municipal de Saúde, que é responsável por encaminhar o leite captado pela instituição até o Banco de Leite de Toledo. “Temos um freezer no Hospital Rondon que armazena todo o leite que recebemos. Uma vez por semana a Secretaria de Saúde faz o encaminhamento para o Banco de Leite”, expõe. Para a enfermeira, o trabalho em conjunto é importante para que o projeto tenha sucesso. Ela relembra que o Hospital Rondon foi o parceiro número um quando o Proamar iniciou, em 2012, sendo ela uma das profissionais que mediou o trabalho no município a partir de visitas nas unidades de saúde, entrega de materiais de divulgação e dos vidros para o armazenamento do leite. Angelita reforça o envolvimento do Rotary para retomar este trabalho, pois por alguns anos o projeto ficou sem ter ações tão práticas. “Se temos uma média de 40 nascidos vivos por mês no Hospital Rondon, mais uns 30 a 40 no Hospital Cruzatti, então há cerca de 70 a 80 mães que podem ser possíveis doadoras. Se cada um fizer a sua parte, com orientação, com trabalho dirigido, em todas as unidades, tanto enfermeiros, os técnicos em enfermagem, os agentes comunitários de saúde, todo mundo integrado, com certeza conseguiremos aumentar mais ainda a demanda”, incentiva. PROJETO NUTRIZ: “MULHER QUE AMAMENTA” A Estratégia Saúde da Família (ESF) do Bairro Botafogo desenvolveu um projeto diferenciado para facilitar a coleta do leite doado, chamado Projeto Nutriz. A palavra nutriz significa “mulher que amamenta”. A agente comunitária de saúde Andiara Peixoto, que é coordenadora do projeto, diz que a iniciativa surgiu após uma demanda do próprio bairro. Segundo ela, houve o caso de uma mãe atendida pela ESF do Botafogo que teve seu bebê prematuro e foi necessário o encaminhamento a Toledo para que o filho recebesse leite materno. “Foi então que pensamos que o bairro tem uma quantidade grande de gestantes e puérperas e seria interessante se fizéssemos um projeto de doação de leite materno”, destacou. A agente comunitária acrescenta que após a ideia a equipe da ESF foi até o Hospital Bom Jesus para conhecer a história e a importância da doação do leite materno excedente. Em seguida à visita, houve a decisão em implantar o projeto. O Nutriz funciona da seguinte maneira: uma equipe da ESF faz visita para as mães e leva os vidros de armazenamento, além de repassar orientações sobre os procedimentos que devem ser adotados para fazer a coleta do leite. Após uma semana, a equipe passa para recolher o leite congelado e, com uma caixa térmica, encaminha a doação para a Secretaria de Saúde, que posteriormente leva para o Banco de Leite de Toledo. “Esse é o diferencial para conseguirmos tantas doadoras”, garante Andiara. A ESF do Bairro Botafogo possui ainda um grupo de gestantes chamado “Amor Maior”. No grupo, a equipe fala com as gestantes sobre o projeto Nutriz, a importância da doação de leite excedente e a importância do aleitamento materno. Fonte/créditos: O PresenteMatéria publicada no site em 28/09/2019https://www.opresente.com.br/geral/marechal-rondon-e-destaque-regional-na-doacao-de-leite-materno/  

Postado em 29 de Setembro de 2019

Posse de Companheiros

Em reunião festiva na noite de 07/05/2019, foram empossados 03 (três) novos companheiros no Rotary Club de Marechal Cândido Rondon - 25 de Julho. Aline Marki - Calssificaçõ: Farmácia;Carina Frank - Classificação: Psicologia; eMaxion Souza - Serviço Público - Poder Legislativo. 

Postado em 08 de Maio de 2019

Posse do companheiro Vanderlei Klein

No dia 19/02/2019 tomou posse o companheiro Vanderlei Klein no Rotary Club de Marechal Cândido Rondon - 25 de Julho, tendo como madrinha a compnaheira Mirta Steinmacher.

Postado em 20 de Fevereiro de 2019

Lacre Solidário

Aconteceu na reunião do dia 06 de novembro de 2018, a entrega de placas de agradecimento à Diretora do Colégio Estadual do Campo, do Distrito de Margarida, Sra. Dorotea Krummenauer e ao Agente Ambiental Sr. Carlos Alberto de Moura. Esta homenagem ocorreu pela parceria firmada entre o Colégio, o Sr. Carlos e o nosso Rotary Club, no projeto do Lacre Solidário, o qual é de grande sucesso entre todos os envolvidos. O Rotary Club, através da empresa parceira VipNet, disponibiliza ao Colégio o acesso à rede de fibra óptica – Internet – 25Mb; em contrapartida o Colégio através dos seus alunos e do Sr. Carlos, repassam mensalmente uma garrafa pet de 2l com lacres de latinhas. Durante o período deste projeto já foram repassados 46 pets com lacres. A Sra. Dorotea agradeceu imensamente o acolhimento desta ideia, onde segundo ela a “internet é um recurso de trabalho”. Relatou que com as mudanças no governo, as escolas estaduais tiveram a necessidade de por conta própria buscarem o acesso à internet. Com este projeto, a comunidade do Distrito de Margarida está trabalhando em conjunto com o Colégio. Comentou que no ano de 2015 ocorreu um sinistro na escola, onde a mesma foi incendiada. Com esta parceria, conseguiram economizar o valor que seria despendido com a internet, e adquiriram câmeras para vigilância. O Colégio tem os muros baixos e hoje não possui cadeados nos portões, pois hoje os alunos vão nos finais de semana para o a escola ter acesso a internet e consequentemente acabam por “cuidar” dele. Disse ainda que “esse trabalho que o Rotary tem para com o jovem é muito importante. O carinho que os alunos têm com o projeto é muito gratificante”; e finalizou afirmando que “os alunos perceberam que eles foram acolhidos pelo Rotary”.   Por sua vez, o Sr. Carlos disse que com a conscientização dos alunos e dos moradores de Margarida, hoje ele consegue manter um ponto de coleta de reciclados no Distrito. No seu linguajar simples, mas muito verdadeiro, não vai ficar nada “no mundo ambiental ele vai ser reciclado”. Nesta noite o Sr. Carlos também repassou cadeiras de rodas que foram encontradas por ele, as quais serão devidamente recuperadas e transmitidas ao Banco de Cadeiras de Rodas da ASR. 

Postado em 07 de Novembro de 2018

Mensagem do Presidente Holger Knaack

Julho de 2020Embora esta não seja uma época, digamos, otimista, nós temos que ser positivos. Muito antes da fundação do Rotary, o mundo já tinha lidado com crises gigantescas que testaram a habilidade humana de tolerância e busca do progresso. Desde que o Rotary surgiu, o mundo tem enfrentado muitas catástrofes. Em meio às adversidades, nós sempre nos levantamos e ajudamos as comunidades a se recuperar. Todo grande desafio nos traz a chance de renovação e crescimento. Na Assembleia Internacional em San Diego, quando a crise de covid-19 ainda estava no começo, eu revelei meu lema O Rotary Abre Oportunidades, que é uma mensagem em que acredito já há muitos anos. O Rotary não é apenas um clube ao qual você se associa, mas um convite a possibilidades infinitas. Nós abrimos oportunidades para nós e também para outros. Nossas ações, sejam elas grandes ou pequenas, abrem oportunidades para aqueles que precisam de nós, e nesse processo o Rotary abre oportunidades para vivermos uma vida mais plena e significativa, embasada nos nossos Valores e ao lado de amigos do mundo inteiro. Os governos e instituições estão cada vez mais receptivos a parcerias em iniciativas de saúde, algo essencial ao nosso trabalho. Nestes meses de confinamento, as pessoas estão querendo se conectar e ajudar suas comunidades e, com isso, elas abraçam os princípios e valores que temos promovido por mais de um século. Apesar dessa perspectiva positiva, não é porque hoje há mais oportunidades do que nunca para o Rotary prosperar que teremos sucesso em tudo. O mundo já vinha mudando rapidamente, mesmo antes da pandemia. Há tempos que as pessoas estão se distanciando de encontros presenciais, preferindo se reunir virtualmente. As amizades estavam sendo reavivadas e mantidas pelas redes sociais bem antes da maioria das nossas reuniões ter migrado para o Skype e o Zoom. As novas gerações têm uma grande vontade de servir, mas não sabem se podem assumir um papel significativo em organizações como a nossa, ou se causariam mais impacto criando diferentes tipos de conexões. Agora é o momento de colocarmos as cartas na mesa, testar novas abordagens e moldar o Rotary do futuro. A covid-19 nos forçou a adaptarmos às circunstâncias. Isto é benéfico, e o Plano de Ação nos pede justamente para melhorarmos nossa capacidade de adaptação. Entretanto, adaptação por si só não é suficiente. Precisamos mudar de forma drástica para vencermos os desafios da nova era e fazermos do Rotary a força do bem que este mundo tanto precisa. Este é o nosso combate, não apenas no ano em curso como também no futuro. Cabe a nós transformar o Rotary nestes novos tempos — abraçando ideias, energia e determinação dos jovens em busca de um canal para materializar seus ideais. Temos que nos tornar uma organização completamente enraizada na era digital, não apenas uma organização que recorre ao universo on-line para continuar fazendo o que sempre fez. O mundo precisa do Rotary agora mais do que nunca. Vamos então garantir que O Rotary Abra Oportunidades por muito tempo ainda.

Postado em 01 de Julho de 2020

Informativo Rotário de Maio de 2020

ENTREGA DE COBERTORES DOAÇÃO DE CESTAS BÁSICAS PROJETO DISTRITAL DOA LOUSA DIGITAL CLUBES NO COMBATE AO CONVID-19 DISTRIBUIÇÃO DE MÁSCARAS ENTREGA DE TIJOLOS

Postado em 30 de Junho de 2020

Rotary e os refugiados: projeto em Boa Vista apoia limpeza de abrigos

Em abril, o Alto Comissariado da Organização das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR) contabilizava 5896 pessoas vivendo nos 13 abrigos do estado de Roraima. Com tantos refugiados vivendo juntos, as necessidades são inúmeras e atender a todas é um grande desafio. Um destes desafios é manter a limpeza destes locais, e foi pensando nessa necessidade que o Rotary entrou mais uma vez em ação para ajudar essa população. Em uma iniciativa que envolveu doações de clubes de todo o Brasil, o Rotary comprou uma máquina para produzir hipoclorito de sódio, composto que é a base para a fabricação de água sanitária. Hoje, o equipamento permite a produção de 150 litros por dia do desinfetante, que são doados para a limpeza de 11 abrigos na capital Boa Vista e outros dois em Pacaraima, na fronteira com a Venezuela. Em Roraima, os abrigos têm capacidade de acolher entre 216 e 1386 pessoas. Nos locais, que contam com banheiros químicos, a água sanitária doada ajuda a garantir a higiene para as centenas de venezuelanos que lá vivem. A iniciativa para a compra do equipamento partiu de Celso Bergmaier, hoje presidente do Rotary E-Club Distrito* 4740 Inspiração. Em maio do ano passado, ele saiu de Chapecó (SC) para conhecer o trabalho da Operação Acolhida, iniciativa do governo federal para receber refugiados venezuelanos em Roraima. Em viagem para Boa Vista, Bergmaier participou de uma reunião com diferentes agências que ajudam no suporte aos venezuelanos. Na ocasião, ficou sabendo da carência de água sanitária para limpeza dos abrigos, já que o produto precisava ser adquirido em grandes quantidades, o que não é algo fácil de se fazer naquela região. “Durante os oito dias que permaneci na Operação Acolhida, tive uma experiencia inigualável, única, que serviu como reflexão sobre nosso papel como rotarianos e das contribuições que podemos oferecer à humanidade, pois, muitas vezes, eu não tinha ideia de que poderia fazer um trabalho tão significativo”, destaca Bergmaier sobre como a situação dos refugiados mexeu com ele. Ele deu início, então, a uma grande mobilização entre clubes de todo o país. A iniciativa foi tão bem sucedida que arrecadou R$ 16 mil. “Praticamente todos os distritos* do Brasil contribuíram com R$ 500, que depois foram transferidos para o clube de Boa Vista – Caçari”, lembra. A verba foi mais que suficiente para a aquisição da máquina e também permitiu a compra de sal e galões retornáveis, necessários para a produção e distribuição da água sanitária. Parte do dinheiro foi ainda investido na reforma de uma cozinha industrial, dentro de uma igreja católica, usada para o preparo e distribuição de refeições aos refugiados.     O Rotary Club de Boa Vista-Caçari, único no estado de Roraima, cuidou da compra da máquina e fez a cessão do equipamento para uma entidade parceria do ACNUR realizar a produção do desinfetante. “A máquina foi cedida para a ADRA (Agência Humanitária da Igreja Adventista do Sétimo Dia) pelo Rotary. A produção é feita pelos voluntários da ADRA”, explica Paulo Bragato, governador assistente do distrito* 4720. Mesmo não cuidando diretamente da produção da água sanitária, o Rotary continua apoiando a fabricação do produto, realizando a compra de mais insumos e galões para a distribuição. “Não é um produto tão caro. A embalagem é até mais cara, mas pela quantidade que precisa ser usada, acaba se tornando caro, já que tudo é sustentado por doação”, explica Bragato, sobre a dificuldade em ter água sanitária em quantidade suficiente para atender a todos os abrigos. Segundo Bragato, um dos grandes parceiros nos cuidados do Rotary com os refugiados tem sido o Ministério Público do Trabalho de Roraima, que direciona doações para diversos projetos do clube. O governo do estado de Roraima também contribui, oferecendo água e luz gratuitamente à escola onde a água sanitária é fabricada. O desinfetante é distribuído semanalmente aos abrigos. Com a pandemia de Covid-19, manter a higiene nos abrigos com centenas de refugiados tem sido ainda mais importante para garantir a saúde de todos os homens, mulheres e crianças que ainda esperam pela oportunidade de uma vida melhor. E, para isso, eles podem continuar contando com o apoio do Rotary. *Para quem não conhece a estrutura do Rotary International, regionalmente, os Rotary clubs são agrupados em distritos. Crédito das fotos: Fernando Teixeira

Postado em 24 de Junho de 2020

Ver todos

Próximo Evento:

03/10/2020

9º ALMOÇO DA OVELHA

Dia Nacional do Combate à Discriminação Racial!

A Lei Afonso Arinos foi a primeira norma contra o racismo no Brasil, aprovada no dia 03 de julho de 1951. ”A data de hoje é um estímulo para provocar a reflexão, a fim não só de que todas as pessoas tenham seus direitos garantidos como também se unam para lutar contra o preconceito. O respeito à diversidade de raças ou cor de pele diferentes, é parte essencial da construção de uma sociedade melhor." https://www.instagram.com/p/CCMKJJgjfMg/?utm_source=ig_web_copy_link

Em 03/07/2020 por Interact Club de Pato Branco

Rotary Club de Guarapuava entrega mantas para a Entidade Vidas por Vidas

O Rotary Club de Guarapuava, através da Presidente Gilcemar Guedes e dos companheiros Felipe Siqueira, Claudecir Valotto e Jacir Queirós, fizeram a entrega na quinta-feira(02)  de mantas para a entidade Vidas por Vidas. A entidade acolhe moradores de Rua de Guarapuava.

Em 03/07/2020 por Rotary Club de Guarapuava

Presidente Gilcemar Guedes do Rotary Club de Guarapuava empossa Conselho Diretor

Na tarde de quinta(02) a Presidente Gilcemar Guedes do Rotary Club de Guarapuava, iniciou a posse de membros do Conselho Diretor do ano rotário 2020/2021. Tomaram Posse Rodrigo Oliveira-Tesoureiro, Felipe Siqueira-Secretário, Claudecir Valotto-Diretor de Protocolo, Jair Golinhaki-Presidente da Comissão de Serviços Humanitários e José Jacir de ;Queirós-Presidente da Comissão de Imagem Pública. O vice-presidente Marco Aurélio Borges foi empossado dia 30.06.2020;

Em 03/07/2020 por Rotary Club de Guarapuava

Posse da Presidente Gilcemar Guedes no Rotary Club de Guarapuava

Na última terça-feira,30, na Casa da Amizade, tomou posse como Presidente do Rotary Club de Guarapuava, ano rotário gestão 2020/21 a Srta. Gilcemar Guedes. Cuja transmissão do cargo foi feita pelo Presidente 19/20 Marco Aurélio Borges. A posse foi conjunta com o Rotary Club Guarapuava Lagoa afiliado do nosso Clube.

Em 03/07/2020 por Rotary Club de Guarapuava

Reuniões Terças-Feiras | 20:00
RUA PARANÁ,5072 Cep: 85960-000